Acesso à Informação
Perfil Sócio Econômico

Santa Cruz do Rio Pardo

Santa Cruz do Rio Pardo é uma cidade de 147 anos que une os atrativos de uma cidade pacata do interior com um comércio forte e indústria cada vez mais abrangente. Com um rio abundante, que dá nome a cidade, Santa Cruz do Rio Pardo não sofre com o desabastecimento em tempos de seca e vem se tornado um atrativo para a indústria.
Antes mais atrelada à agricultura, hoje a cidade é forte no  agronegócio, na indústria alimentícia e de bens de consumo. Com uma história importante para a região, Santa Cruz já foi tida como “Joia da Sorocabana”. Seu passado glorioso se reflete até hoje em diversos aspectos, mas principalmente na cultura. Com uma história viva nas ruas da cidade, ainda com casarões centenários e o prédio da antiga estação ferroviária.
História – Segundo informações do livro Memórias de José Magalli Ferreira Junqueira, a história de Santa Cruz do Rio Pardo se inicia quando José Theodoro de Souza, Joaquim Manuel de Andrade e Manoel Francisco Soares desbravavam o Sertão do Paranapanema.
Uma grande cruz plantada às margens de um pardacento rio, iluminada, à noite, com tochas e velas, para espantar os índios, daria origem ao nome do nascente lugarejo e futura cidade: Santa Cruz do Rio Pardo. Daquela época em diante, o povoado traçaria um itinerário de lutas e conquistas, tornando-se Distrito em 1872, município em 1876, comarca em 1884 e, finalmente, cidade em 1906.
Nos primeiros anos do século transformara-se em grande exportadora de café, tendo a Estrada de Ferro Sorocabana como sua principal artéria de vitalidade econômica e, na década de 40, Santa Cruz do Rio Pardo então se tornar a maior produtora de alfafa do Estado de São Paulo.
Os anos 50 traziam para o Brasil as novidades da industrialização, provocando grandes movimentos migratórios. A agricultura, liderada pela cultura cafeeira, entra em decadência.A Estação da Estrada de Ferro Sorocabana é desativada na década de 60.
Atualmente – Apesar da importância agrária, Santa Cruz não tem a agricultura como principal atividade econômica nos dias de hoje. A cidade é o 4º Pólo calçadista do Estado de São Paulo, com mais de 30 fábricas de calçados. O município possui também um Pólo Cerealista, sendo o maior beneficiador de arroz do estado de São Paulo. A produção corresponde a cerca de 25% do consumo de arroz do Estado.
A cidade ainda apresenta números relevantes na plasticultura (cultura sob plástico). É a maior representante no São Paulo, com 70 hectares de estufas de hortaliças e legumes. 90% dessa produção é destinada ao Ceagesp e 10% distribuído na região.
Santa Cruz vem se destacando na indústria alimentícia através da fabricação de pão de alho, ração para cães e gatos e molhos de pimenta. O comércio gastronômico na cidade também se destaca. Com muitos restaurantes, lanchonetes e pizzarias, a vida noturna não é tão pacata quanto se imagina de uma cidade de interior. Santa Cruz possui população estimada em 46.366 (IBGE 2014).